O que faz parte da sua imagem pessoal? Tudo que pode ser visto em você faz parte da sua imagem pessoal, como o seu cabelo, sua expressão facial, seus vestíveis, a maneira como fala, se senta e gesticula. A consultoria de imagem, aborda questões referentes a sua imagem visual / comunicação não verbal.

Toda imagem pessoal transmite mensagens a respeito de quem a gerencia. Quando você não está falando, sua imagem visual é uma forma de comunicação não verbal.

Como é possível a imagem pessoal se transformar em uma ferramenta de comunicação?

A imagem pessoal é de fundamental importância para transmitir aquilo que você quer expressar. É comum, no dia a dia, que todos nós façamos uma avaliação, um prejulgamento de toda e qualquer imagem visualizada. Isso é inconsciente, certo?! Não temos controle a respeito disso. E veja bem, estou me referindo a leitura que nosso cérebro faz sobre arquetípicos e não esteriótipos.

Arquetípicos são símbolos que nos transmitem alguma sensação ou reação emocional de forma inconsciente. As cores, linhas e formas compõem símbolos arquetípicos. Encontramos símbolos arquetípicos nos nossos rostos, corpos, vestíveis. E também em objetos, ambientes e diversas situações. O inconsciente de cada pessoa é um reservatório de imagens latentes, chamadas de arquétipos ou imagens primordiais, que todos nós herdamos dos nossos ancestrais. A pessoa não se lembra das imagens de forma consciente, porém, herda uma predisposição para reagir ao mundo da forma que nossos ancestrais faziam.

Estereótipos são generalizações que as pessoas fazem sobre comportamentos ou características de outros, seja sobre a aparência, roupas, comportamento, cultura etc. São pressupostos, se convertendo em rótulos, muitas vezes, pejorativos e causando impacto negativo nos outros. É habitualmente um conceito infundado sobre algo e é geralmente depreciativo. Estereótipo é uma noção preconcebida e muitas vezes automática, que é incutida em nosso subconsciente pela sociedade.

Veja como arquetípico e esteriótipo são coisas bem diferentes uma da outra!

Bem, focando novamente em como acontece a representação e o reconhecimento da imagem. Qualquer imagem informada ao cérebro acessa nosso reservatório de arquetípicos e provoca primeiro uma resposta emocional para depois ser interpretada racionalmente. Acontece que toda imagem visualizada por nós é recebida no cérebro pelo tálamo e enviada rapidamente à área límbica, que é responsável pelas nossas emoções. Essa leitura acontece nos primeiros 10 segundos após o contato visual com a imagem. Posteriormente essa informação visual recebida passa para o córtex, onde uma informação racional será processada. A nossa imagem causa primeiro uma emoção que pode aproximar ou afastar, por exemplo. Então, quanto menos clara, nítida e óbvia é a sua imagem pessoal com relação a sua personalidade e modo de vida, mais difícil é a leitura e percepção feita pelos outros, e por você mesmo ao visualizar sua própria imagem.

A partir das escolhas dos nossos vestíveis (roupas, calçados, acessórios e bolsas, ou seja, tudo que se pode vestir no corpo) e das nossas escolhas de cabelo, maquiagem, sobrancelha [etc] cria-se uma identidade visual que é a soma das nossas preferências, da personalidade e do modo de vida, ou seja, nossa imagem pessoal. Mas, imagem pessoal não se trata apenas de roupas e afins. Trata sobre pessoas e sobre o que elas desejam comunicar ao mundo (porém, obviamente os vestíveis, cabelo, maquiagem [etc] tem importância pois são ferramentas de comunicação na imagem pessoal). Toda escolha que fazemos a respeito dos nossos vestíveis, da nossa imagem comunica alguma coisa e as escolhas que não fazemos também comunicam algo. Nossas escolhas dizem muito sobre nós. Dessa forma, a imagem criada diariamente passa uma mensagem, que é uma poderosa ferramenta de comunicação.

O caminho para o sucesso do gerenciamento da imagem pessoal está em adequar essa percepção do outro, e a sua própria percepção, ao que você realmente é, mantendo a sua personalidade. Porém, gerindo sua imagem pessoal com capacidade para administrar o impacto que ela causa perante os outros, e principalmente, o impacto que causa em você!

O objetivo não é manipular sua imagem, se fantasiando de alguém que você não é com o objetivo de causar uma suposta boa impressão, mas gerenciá-la respeitando sua personalidade. Mas, com capacidade de fazer escolhas visuais de acordo com sua intenção, com o que você deseja expressar. Afinal, todo mundo tem uma mensagem que deseja comunicar!

Imagem: Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *